Notícias

Tratamento de Déficit de Atenção pode ser completamente assistido pelo SUS

Por Aline Campolina/Itatiaia, 13/11/2019 às 16:34
atualizado em: 13/11/2019 às 16:37

Texto:

Foto: Reprodução / Agência Brasil
Reprodução / Agência Brasil

Doença que afeta até 5% das crianças no mundo, o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) deve ganhar um tratamento mais adequado e um diagnóstico mais rápido em todo o país. Pela primeira vez, o Ministério da Saúde ouve a população para discutir o assunto e, após o resultado da consulta pública, poderá incorporar o diagnóstico, tratamento e medicação para o TDAH por meio Sistema Único de Saúde (SUS).
 
Segundo Rodrigo Carneiro, neuropediatra e presidente da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil (ABENEPI), o Transtorno do Déficit de Atenção é uma doença do neurodesenvolvimento extremamente prevalente na infância que tem como principais sintomas a desatenção, a impulsividade e a hiperatividade.

"Esses sintomas impactam na vida da criança e da pessoa durante a vida toda - na escola, no aprendizado, nos relacionamentos familiares, nos relacionamentos pessoais e na vida profissional”, explica.

De acordo com a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), já existem inúmeros estudos em todo o mundo – inclusive no Brasil – demonstrando que a prevalência do transtorno é semelhante em diferentes regiões, o que indica que ele não é secundário a fatores culturais (as práticas de determinada sociedade, etc.), o modo como os pais educam os filhos ou resultado de conflitos psicológicos. Ainda segundo a Associação, estudos científicos mostram que portadores de TDAH têm alterações na região frontal do cérebro. Esta região é responsável pela inibição do comportamento (isto é, controlar ou inibir comportamentos inadequados), pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento.

Para o médico, “é extremamente importante a consulta que o Ministério da Saúde está fazendo para que façam as diretrizes de tratamento e de diagnóstico. Com isso vamos poder, não só fazer o diagnóstico correto, mas propor um tratamento completamente assistido pelo nosso SUS”. A consulta pública fica aberta até dia 25 de novembro no site da ABDA.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Há quatro meses o Brasil registrava oficialmente a primeira morte no país em decorrência da pandemia do coronavírus #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Os bares estão fechados desde 20 de março na capital mineira, quase quatro meses #itatiaia

    Acessar Link