Notícias

Pesquisadores da UFMG buscam jovens com exposição a DSTs para estudo de combate às doenças

Por Redação , 07/05/2019 às 09:09
atualizado em: 07/05/2019 às 12:59

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) buscam jovens entre 15 e 19 anos para um estudo específico financiado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que busca entender e combater o aumento do número de doenças sexualmente transmissíveis entre esta faixa etária. 

O trabalho de profilaxia pré-exposição, conhecido como PREP, que garante medidas para prevenção do HIV para população mais exposta ao risco, já é garantido a maiores de 18 anos na rede pública e deverá ser ampliado para os jovens. Por isso, os pesquisadores buscam aqueles que se enquadram nessa situação para participarem do estudo, realizado também em outras capitais. 

Ouça a reportagem completa com Alessandra Mendes

De acordo com o professor da Faculdade de Medicina da UFMG, Unaí Tupinambá, os dados já apontam para uma situação delicada dos jovens, que agora também terão acesso ao PREP. 

“Essa pesquisa vai abordar a população-chave, pra gente demonstrar que o uso de Prep nessa população jovem pode ser eficaz e segura para prevenir essa infecção, tendo em vista que a incidência de infecção por HIV no Brasil e no Mundo é cada vez mais se concentrando na população jovem, dos homens jovens, dos homens gays e dos homens que fazem sexo com homens”.

Os participantes do estudo vão ser acompanhados por um ano e terão acesso à educação sexual, preservativos, testagem rápida, exames clínicos laboratoriais e acompanhamento psicossocial.

Quem estiver dentro desse público-alvo para a pesquisa, pode se informar sobre o estudo no telefone: (31) 9-9726-9307. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link