Notícias

Mais de 160 corpos ou segmentos permanecem sem identificação no IML  

Por Redação , 09/03/2019 às 11:09
atualizado em: 09/03/2019 às 11:33

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Itatiaia
Itatiaia

Um mês e meio após o rompimento da Barragem em Brumadinho, na Grande BH, 197 corpos foram identificados e mais de 160 corpos ou segmentos permanecem no Instituto Médico Legal (IML) sem identificação. De acordo com a Polícia Civil, o número não reflete na quantidade de óbitos, já que há possibilidade de mais de um segmento pertencer à mesma pessoa. 111 pessoas permanecem desaparecidas. 

Ainda de acordo com a Polícia Civil estão sendo realizadas quatro formas de identificação: impressão digital, arcada dentária, DNA e antropologia, que é feita por meio de raios-X das partes do corpo ou de cicatrizes e/ou tatuagens.  

Os casos que necessitam de exame de DNA são mais complexos, de acordo com a corporação, e tem especificidades e com avançado estado de decomposição demoram mais para serem identificados.

Não há prazo para término de identificação.
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link