Notícias

Após novo protesto na Toca, Éderson diz que ‘maioria’ dos cruzeirenses está com o time

Por Redação/Agência Estado, 22/11/2019 às 15:40
atualizado em: 23/11/2019 às 20:17

Texto:

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Um dia depois de pichar os muros da Toca da Raposa II com frases como "Fora parasitas" e "Fora verme", parte da torcida do Cruzeiro realizou um novo protesto nesta sexta-feira, véspera da partida fora de casa contra o Santos, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o time em situação complicada na competição - está só um ponto acima da zona de rebaixamento -, um grupo de torcedores levou até o portão do CT faixas com frases direcionadas ao treinador Abel Braga e alguns jogadores específicos como Egídio, Fred, Thiago Neves, Robinho e Marquinhos Gabriel.

"Como faço para ser sócio torcedor igual Thiago Neves e Fred... assistir o jogo de dentro do campo com uniforme oficial do clube", dizia uma das faixas assinadas pelo Grupo Trem Azul, que é uma das torcidas organizadas do Cruzeiro.

Escalado para conversar com os jornalistas nesta sexta-feira, o volante Éderson disse que a maioria da torcida apoia os jogadores. 

"Acho que isso é para alguns torcedores (as faixas negativas). A maioria está nos apoiando. Claro que não aceitam (os resultados ruins), mas entendem que a gente também não quer cair, que a nossa vontade é de permanecer e fazer o melhor, como teve as faixas positivas, as faixas negativas e as críticas são para alguns torcedores", frisou.

Se fora da Toca da Raposa houve manifestação, dentro do CT faixas de apoio ao time foram vistas durante o treinamento. Elas foram afixadas ao redor do campo onde o time fez a atividade final antes da viagem para Santos. De acordo com a assessoria de imprensa do clube, um grupo de torcedores pediu para colocar as faixas.

Neste sábado, às 21h, o Cruzeiro enfrenta o Santos, na Vila Belmiro, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Se não vencer a partida, o time celeste corre o risco de voltar para a zona de rebaixamento, já que está apenas um ponto a frente do Fluminense, que abre o Z4.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link