Notícias

Advogado do Cruzeiro critica decisão do STJD: ‘Tirar o mando não tem a menor condição’

Por Redação , 21/11/2019 às 22:53
atualizado em: 22/11/2019 às 16:56

Texto:

Foto: Daniela Lameira / Site STJD
Daniela Lameira / Site STJD

O Cruzeiro não escapou de punição no STJD devido às confusões no clássico contra o Atlético, no último dia 10, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, e perdeu um mando de campo na competição nacional. Além disso, o clube foi multado em R$ 100 mil. Theotonio Chermont, advogado que defendeu a Raposa no julgamento desta quinta-feira, no Rio de Janeiro, criticou a decisão do tribunal.

Em entrevista à Itatiaia, o advogado celeste disse que o STJD pegou pesado com o Cruzeiro, já que “não se lembra de nenhum clube que tenha perdido mando de campo em situação semelhante na Série A deste ano”.

“Achei péssimo. Não esperava que a pena fosse ser tão pesada, razão pela qual vamos recorrer. A aplicação da multa, pelo contexto, era esperada. Mas a perda do mando de campo não tem a menor condição. Não me lembro de nenhum clube que tenha perdido mando de campo em situação semelhante na Série A deste ano. Houve casos muito mais graves em que o tribunal não aplicou a pena de perda de mando de campo. Então, para o Cruzeiro, foi uma grande injustiça”, declarou.

Restando cinco rodadas para o fim do Brasileirão, a equipe celeste fará mais dois jogos como mandante: CSA, na quinta-feira (28), pela 35ª rodada, e Palmeiras, dia 8 de dezembro, no último confronto da competição. O duelo diante do time alagoano não corre risco de sair do Mineirão, já que a mudança de local precisa ser feita com 10 dias de antecedência, no mínimo. No entanto, a partida diante do Verdão pode ter o estádio alterado.

Correndo risco de rebaixamento, jogar fora de Belo Horizonte significaria uma perda enorme para o Cruzeiro. Desta forma, para atuar no Mineirão na última rodada, o clube celeste irá recorrer ao Pleno do STJD. “A gente vai tentar reverter isso no Pleno, pedir um efeito suspensivo porque faltam só quatro rodadas (cinco, na verdade) e a gente não pode prescindir de um mando de campo, isso faz toda a diferença”, ressaltou Theotonio Chermont.

O Atlético também foi punido com a perda de um mando de campo pelas confusões no clássico. O clube alvinegro foi multado em R$ 130 mil, sendo R$ 30 mil pela injúria racial cometida por torcedores contra um segurança da Minas Arena. A assessoria de imprensa do Galo já informou que o clube também irá recorrer.

Após o apito final do clássico, que terminou empatado em 0 a 0, o Mineirão ficou um palco de guerra nas arquibancadas. Além das brigas nas cadeiras, houve tumulto em um camarote de cruzeirenses que foi invadido por atleticanos após um objeto ter sido atirado do local contra os alvinegros. Como se não bastasse, um ato de injúria racial de torcedores atleticanos contra um segurança da Minas Arena também foi registrado.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link